domingo, 28 de junho de 2009

PROPOSTA DO DR. JOSÉ DIAS NA ÁREA DA SAÚDE

Na Convenção Autárquica do PSD/Algarve que, ontem, decorreu no Pavilhão do Arade, em Ferragudo, o Dr. José Dias, Candidato a Presidente da Câmara Municipal de Portimão pelo PSD, surpreendeu-me pela positiva, no que espero ser, para bem da Democracia, do debate político e da cidade de Portimão, uma viragem que marque o início da Campanha Eleitoral, baseada mais em proposta próprias e construtivas para a melhoria da qualidade de vida na nossa cidade, do que em meras críticas (ainda que reconheça a importância que as mesmas têm para controlo e conhecimento da realidade politica e organizativa dos Órgãos Autárquicos Locais).
Na sua intervenção, que abordou a temática da relação do Município com a Saúde Hospitalar, José Dias apresentou o actual cenário do Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio, que apresenta sérias dificuldades funcionais, que se traduzem, para prejuízo de todos os utentes deste Hospital (toda a população dos municípios de Vila do Bispo, Lagos, Aljezur, Portimão, Monchique, Silves e Lagoa), no desaparecimento de importantes valências na área médica, com especial destaque para as:
- Doenças degenerativas
- Doenças do foro cardio vascular
- Doenças do foro psiquiátrico
- Doenças do foro oftalmológico
- Doenças infecto contagiosas
- O Trauma
O desaparecimento destas especialidades, que afectarão as condições de saúde de mais de 200.000 pessoas do Barlavento do Algarve, são intoleráveis para qualquer cidadão atento e deve ser alvo da preocupação de qualquer Executivo Camarário desta zona do Algarve.
Para a sua resolução, o Dr. José Dias apresenta uma proposta inovadora, viável e facilmente concretizável, havendo vontade política para tal, que se traduz no pagamento, pela Autarquia, da formação, em especialista, para 2 médicos, para cada uma das áreas supra referidas, com a celebração de um contrato que obrigue o clínico a exercer em exclusividade essa especialidade no Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio, pelo período de oito anos.
Parabéns pela iniciativa!

Dia do ISMAT

Celebrou-se ontem, dia 27 de Junho, o dia do ISMAT.
Este ano, as cerimónias decorreram nas instalações da Universidade da Rua Estêvão Vasconcelos, tendo contado com a presença dos responsáveis máximos do ISMAT e do Presidente da Câmara Municipal de Portimão.
O Director do ISMAT, Dr. Reis de Oliveira, reafirmou o seu desejo de trazer para Portimão licenciaturas na área das ciências da saúde, o que mereceu o apoio do Presidente da Universidade Lusófona, Prof. Doutor Manuel Damásio. Para tal defendem a transformação do ISMAT em Universidade Lusófona do Algarve.
Já o Presidente da Câmara Municipal de Portimão manifestou apoio incondicional ao ISMAT, tendo-se comprometido a ajudar a Administração da Instituição a resolver o problema da falta de instalações, ainda que numa primeira fase a título provisório.
No decurso da cerimónia foram entregues diplomas a mestres e licenciados do ISMAT e bolsas de mérito aos 3 alunos com melhores médias da Instituição.
Para finalizar, foi apresentada a nova revista da Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes, denominada PERCURSOS e que terá uma edição trimestral.

Nova Escola EB 2,3 na Bemposta

A cidade de Portimão terá, a partir do ano lectivo de 2010/2011, uma nova Escola EB 2,3, localizada na Bemposta.
Esta nova escola estará vocacionada para o ensino artístico, sendo a primeira escola do país com essa valência, com capacidade para 30 turmas, com 25 alunos cada, representando um investimento de cinco milhões de euros.
Dotada de um pavilhão desportivo e de campos de jogos exteriores, a escola localizar-se-á num terreno municipal situado na zona da Bemposta, em espaço onde futuramente serão edificados uma escola do ensino básico do 1º Ciclo e jardim-de-infância, as novas instalações do núcleo local da Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve e ainda o Campus Universitário de Portimão, naquilo que constituirá uma “Cidade do Ensino”.
Na cerimónia de lançamento da primeira pedra, que ocorreu no passado dia 26 de Junho, estiveram presentes, além do Executivo Camarário, o Director Regional de Educação do Algarve, tendo sido anunciadas intervenções em outros equipamentos escolares, nomeadamente no Centro Escolar do Pontal, com criação de 14 novas salas de aula do 1º Ciclo do Ensino Básico e três salas da educação Pré-Escolar, assim como no Centro Escolar Prof. José Buísel, que contempla a criação de 12 novas salas de aula do 1º Ciclo do Ensino Básico e três salas da educação Pré-Escolar.
A cerimónia de lançamento contou com uma animação realizada por alunos portimonenses de diferentes áreas de ensino artístico, como a jovem cantora Maria do Mar, os Pequenos Solistas do Conservatório de Portimão, ou o Grupo de Teatro da Escola Secundária Poeta António Aleixo.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Michael Jackson: Apagou-se uma estrela

Michael Jackson faleceu hoje, aos 50 anos de idade, vítima de paragem cardíaca. Nascido a 29.08.1958, foi um dos melhores cantores, compositores e dançarinos do Séc. XX, um verdadeiro ícone, que marcou com a sua música e estilo, as últimas três décadas, em todo o Mundo.
Nascido em Gary, nos EUA, começou a cantar com 5 anos como líder do Jackson 5, tendo iniciado a sua carreira a solo em 1971.
Cinco dos seus álbuns de estúdio tornaram-se os mais vendidos de sempre à escala mundial:
Off the Wall (1979)
Thriller (1982) - O álbum mais vendido da história
Bad (1987)
Dangerous (1991)
History: Past, Present and Future - Book I (1995)
Em 1985 organizou a campanha USA for Africa, uma das acções de solidariedade mais conhecidas de sempre.
Com uma vida excentrica e polémica (era conhecido como o negro mais branco do mundo, graças às suas operações plásticas) morreu o homem que queria ser eterno e tinha medo de morrer.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

CONCURSO DE SALTOS INTERNACIONAL DE PORTIMÃO

Realizou-se no Centro Hípico de Belmonte, entre 19 e 21 de Junho o Concurso de Saltos Internacional de Portimão ****, prova de quatro estrelas, que atraiu alguns dos melhores conjuntos equestres, integrando uma vez mais o Portugal Equestrian Tour e o Programa Allgarve 09.
Entre os 180 conjuntos em representação de 23 países, destaca-se a presença dos campeões do mundo Dermott Lennon (Irlanda) e Thomas Fruhmann (Áustria), sendo ainda de referir entre os 26 olímpicos que estarão em Belmonte os nomes de Juan Carlos Garcia (que participou em três Jogos Olímpicos representando a Itália), Michel Blaton (belga que venceu em 2008 a prova de Portimão), Fidel Segóvia (Argentina), François Mathy (Bélgica) e Graham Lovegrove (o inglês que triunfou no ano passado durante o Concurso de Saltos Internacional de Portimão ****).
Esta segunda edição do circuito internacional, integrou o calendário da Federação Equestre Internacional, servindo ainda para que os cavaleiros portugueses possam pontuar para o ranking mundial, como serão os casos de Francisco Rocha, Luís Sabino, João Mota e António Vozone, que compõem a equipa nacional apurada para o próximo Campeonato da Europa.
O Portugal Equestrian Tour é composto por cinco eventos e integra etapas em Lisboa, Vimeiro e Ponte de Lima, já realizadas, terminando em Vilamoura, sendo que a prova de Portimão tem um prize money de 165 mil euros e é coordenada pela Federação Equestre Portuguesa, com patrocínio oficial do Instituto de Turismo de Portugal e apoio local do Município de Portimão.

Seguem algumas fotos da prova:


Audição Final

Realizou-se no passado Sábado, no Teatro Municipal de Portimão, a Audição Final de alunos do Curso Básico do Conservatório de Portimão - Joly Braga Santos.
Um grupo de novos talentos musicais, que certamente darão muito que falar daqui a alguns anos, glorificando a cidade de Portimão e toda a região do Algarve, mostrou as suas qualidades artísticas.
Actuaram nesta Audição os seguintes alunos:
Miguel dos Reis Marques - Violino (Canção de Maio, Tia Rosa, Allegro)
Eduardo Vida Larga - Piano (Estudo op. 599, nº 24, Valsa, Sonatina, Allegro Moderato)
Carolina Reis - Piano (Nothing else Matters)
Cláudia van den Berg - Piano (Allegro con Affetto)
Dumitru Ciobotari - Violino (Coro dos Caçadores)
Afonso Coelho - Piano (Estudo)
Ricardo Vicente - Piano (Estudo)
José Costa - Acordeão (Coral, Som de Cornetim)
Pedro Andrade - Piano (Prelúdio)
Duarte Nery - Saxofone (Tema do Filme Titanic)
Núsia Lima - Piano (Menuet, Sol M)
Maria Clarisse Guirau - Viola d'Arco (III and. do Concerto op. 35)
Rafaela Jesus - Piano (Musette, Ré M)
Rodrigo Dias - Saxofone (Autumn Leaves)
Tobias Cintrão - Acordeão (Tema e Variações)
Vinícius de Paula - Piano (Pastorale)
Sergiy Tymkiv - Violino (Estudo)
Jéssica Brito - Violoncelo (Cradle Song)
Miguel Lopes - (Melody in C)
Miguel Calado - Piano (Minueto)
João Feliz e Tobias Cintrão - Violino e Acordeão (Libertango)
Ana Palheiro - Piano (O Cavaleiro Selvagem)
Luís Dias - Saxofone (Over the Rainbow)
Francisco Sousa - Piano (Estudo op. 599, nº 18)
Margarida Correia - Piano (Estudo op. 599, nº 87)
Ion Ciobotari - Guitarra (Prelúdio Opus 114 nº 2, Danse)
António Samuel Balula - Piano (Prelúdio e Fuga Ré M)
João Pacheco - Saxofone (Where do I Begin)
1001 Cordas - Orquestra Algarvia de Guitarras (Queda do Império, Cueca)
Fábio Palma - Acordeão (Astúrias)
Laura Quaresma - Piano (Sonata, Doctor Gradus ad Parnassum)
Pedro Feliz - Violino (Presto III)
Trio de Acordeões (Dança Húngara nº 5, Dança Divagante)
Foram pianistas acompanhantes: Prof.ª Oxana Temniakova, Prof.ª Marta Alves, Prof. Lutz Kettnaker
Os actuantes são alunos dos professores do Conservatório de Portimão: Ana Nunes, Carlos Cruz, Carlos Ramalho, Elena Tsouranova, Gonçalo Pescada, João Miguel Cunha, João Pedro Cunha, João Rosa, José Dias, Marta Alves, Oxana Temniakova, Ricardo Batista, Sunita Mamtani e Teresa Brandão

CONVENÇÃO REGIONAL AUTÁRQUICA DO PSD/ALGARVE

Decorrerá no próximo dia 27 de Junho de 2009, a partir das 14h30h, no Pavilhão do Arade, em Lagoa, a Convenção Regional Autárquica do PSD/Algarve.
A Sessão de Abertura está a cargo do autarca de Lagoa, José Inácio e do presidente dos ASD-Autarcas Social Democratas, Manuel Frexes. Na Sessão de Encerramento intervirão Mendes Bota, presidente do PSD/Algarve, e Manuela Ferreira Leite, líder do PSD.
Durante a tarde intervirão 21 dos principais candidatos social democratas às autarquias do Algarve e representantes de estruturas distritais do partido, cada qual abordando uma temática sectorial, na sua interacção com o Poder Local. Como convidados especias, dissertarão também o presidente do Instituto Francisco Sá Carneiro, Alexandre Relvas, e o Coordenador da Comissão de Coordenação Autárquica do PSD, Castro Almeida.

ORDEM DE TRABALHOS
14h30m - Recepção dos participantes
15h00m - SESSÃO DE ABERTURA
15h00m - José Inácio - candidato à CM de Lagoa - "Intervenção de Boas Vindas"
15h10m - Manuel Frexes - Presidente dos Autarcas Social Democratas - "Discurso de Abertura" 15h20m - Horácio Piedade - candidato à JF de S. Sebastião (Loulé) - "Freguesias - na proximidade dos cidadãos e dos problemas"
15h30m - Carlos Silva e Sousa - candidato à AM de Albufeira - "Assembleias Municipais - a democracia local representativa"
15h40m - Rosa Cigarra - candidata à CM de Aljezur - "Aljezur escala zero do investimento - um case study"
15h50m - Rui André - candidato à CM de Monchique - "A serra, a floresta e os produtos tradicionais"
16h00m - João Moura - candidato à CM de S. Brás de Alportel - "Ambiente e Desenvolvimento Sustentável"
16h10m - Rui Amaro - candidato à CM de Tavira"Problemática da água - por barragem, furo e mar"
16h20m - Eduardo Abúndio - candidato à CM de Olhão - "Autarquias com pescadores e agricultores"
16h30m - Nuno Marques - candidato à CM de Lagos - "O papel das autarquias no combate à pobreza"
16h40m - José Dias - candidato à CM de Portimão - "O município e a saúde hospitalar"
16h50m - Antonieta Guerreiro - Coordenadora Distrital do MMSDA - "As Mulheres Social Democratas do Algarve e a participação política"
17h00m - Fábio Bota - Presidente da JSD/Algarve - "Jovens autarcas - sangue novo, idéias novas"
17h10m - Seruca Emídio - candidata à CM de Loulé - "A ética e a política local"
17h20m - Francisco Amaral - candidato à CM de Alcoutim - "A desertificação do interior"
17h30m - Gilberto Viegas - candidato à CM de Vila do Bispo - "Parques Naturais e desenvolvimento local"
17h40m - José Estevens - candidato à CM de Castro Marim - "A responsabilidade das autarquias no parque escolar e desportivo"
17h50m - Luis Gomes - candidato à CM de Vila Real de Santo António - "A política social dos municípios"
18h00m - Isabel Soares - candidata à CM de Silves - "As mulheres e o poder local"
18h10m - Desidério Silva - candidato à CM de Albufeira - "O Turismo e o Poder Local"
18h20m - Castro Almeida - Coordenador da Comissão Autárquica do PSD - "As marcas do PSD na gestão do Poder Local "
18h30m - Macário Correia - candidato à CM de Faro - "Desafios na política regional de transportes"
18h40m - Alexandre Relvas - Presidente do Instituto Francisco Sá Carneiro - "Autarquias: o que procuram os empresários?"
19h00m - SESSÃO DE ENCERRAMENTO
Mendes Bota - Presidente do PSD/Algarve - "Um Algarve com futuro"
Manuela Ferreira Leite - Presidente do PSD - "Intervenção de Encerramento"

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Imposto sobre o turista - Opinião

O Presidente da Câmara Municipal de Portimão apresentou recentemente a proposta da criação de um imposto (ou mais concretamente de uma taxa) de 1 Euro por dia para turistas.
Desde logo devo dizer que, pessoalmente, não concordo com a iniciativa. No entanto, a minha forma de estar na política não é a de criticar por criticar, sem apresentar ideias alternativas.
Compreendo perfeitamente o problema do Município de Portimão, que é igual ao dos restantes municípios do Algarve, da Madeira e de quaisquer outras zonas turísticas: Estes municípios têm uma repartição de receitas do Orçamento de Estado calculada em função da área do território municipal e do seu número de habitantes. Este seria um critério justo e igualitário, se os municípios que vivem essencialmente da actividade turística não vissem a sua população duplicada ou triplicada durante grande parte do ano ou, pelo menos, durante um determinado período de tempo.
Enquanto um município que não vive essencialmente do turismo projecta as suas infra-estruturas em função do seu número real de habitantes, os municípios que vivem do turismo têm que projectar as suas infra-estruturas tendo por base a sua população real acrescida do número de camas que permitem receber determinado número de turistas, ou seja, têm o dobro do custo para uma mesma infra-estrutura.
A realidade é que estes municípios, inúmeras vezes, não dispõem de verbas suficientes para projectar uma infra-estrutura básica para uma população superior á real, pelo que acontecem um pouco por todo o Algarve uma série de problemas típicos do Verão, como a falta de água em certas localidades, ruptura de ETAR’S, falhas de luz, impossibilidade de criação de espaços de estacionamento suficientes, impossibilidade de arranjo paisagístico, impossibilidade de arranjo da rede viária… E isto reflecte-se na qualidade da oferta turística, no bem-estar das populações e na opção política de edificação urbana (quanto mais se permitir construir, maior a receita municipal de IMI e IMT).
As receitas dos municípios são as que vêm do IMI e do IMT, de uma pequena percentagem do IRS e do IRC, das taxas e licenças e da transferência do Orçamento de Estado. Esta situação é altamente discriminadora para os munícipes, pois são esses quem pagam o IMI, o IMT, as taxas, as licenças e o IRS, sendo certo que, relativamente ao IRC, o município só recebe a parte correspondente às empresas nele sediadas. Aqueles que passam certo período de tempo no município não contribui directamente para a receita que possibilita a criação das infra-estruturas que usufruem, o que não está correcto.
No entanto, a criação da taxa a ser paga por cada turista não é a opção mais correcta, pela imagem negativa que dá (ninguém gosta de pagar taxas e impostos) e pela dificuldade em fiscalizar o pagamento, principalmente nas camas paralelas. Além disso a relação custo/benefício poderá não chegar a justificar a implementação da medida.
Injusto para o Algarve, no entanto, é gerar 5.000 milhões de Euros de receitas de turismo por ano e receber de PIDAC entre 100 e 150 milhões de Euros por ano. Têm sido os municípios do Algarve, desde Vila Real de Santo António até à Vila do Bispo, quem têm providenciado pelo desenvolvimento que a região tem actualmente mas, o aumento da concorrência dos destinos turísticos e a maior exigência dos turistas, obriga à realização de investimentos cada vez mais dispendiosos que, muitas vezes, os municípios não podem suportar.
Neste domínio, percebo tanto a revolta de Manuel da Luz, como a de Alberto João Jardim, que vê sair da Região Autónoma da Madeira milhões e milhões de Euros anualmente para os cofres do Estado e tem que implorar uns trocos (na relação entre o que contribui e o que recebe) para criar infra-estruturas que permitam dar resposta às necessidades da população e dos turistas.
Quem é do Algarve certamente conhece a estrada que liga Monchique a Aljezur e sabe a vergonha que é sair do município do Monchique e entrar no de Aljezur. É inadmissível que aquela estrada esteja por arranjar há mais de 20 anos, mas é compreensível que não seja arranjada quando o município sabe que gastaria quase a totalidade do seu orçamento anual para arranjá-la; toda a gente conhece o estado do assoreamento do Rio Arade; toda a gente vê, em todos os municípios, património histórico abandonado; toda a gente conhece vias rodoviárias em estado lastimoso; toda a gente conhece municípios com problemas na distribuição eléctrica e de água, toda a gente sabe que a resolução destes problemas permitiria um aumento da oferta e da receita turística (…) e toda a gente sabe que as receitas dos municípios (de todos os municípios do Algarve, sem excepção, qualquer que seja a força politica que os governa) não são suficientes para a concretização de todas as obras necessárias para receber os turistas com a qualidade e dignidade que eles merecem e exigem ser recebidos.
Como disse inicialmente, não critico ideia alguma sem apresentar uma solução alternativa e este caso não será a excepção.
Existe um problema sério para todos os municípios que vivem essencialmente do turismo no Algarve, que é a reduzida receita face à elevada despesa, que deriva, principalmente, da forma como é feita a repartição dos valores que os municípios recebem do Orçamento de Estado.
Nestes termos,
- Considerando que a diminuição de volume de turistas na região, provocará uma grave diminuição de receitas para todo o Estado Português;
- Considerando que essa diminuição ocorrerá se os municípios de vocação turística não conseguirem criar novas infra-estruturas atractivas, que são sempre mais dispendiosas do que nos outros municípios de vocação não turística;
- Considerando que o Algarve ainda não é formalmente uma Região que possa reivindicar unitariamente uma alteração no volume de receitas;
- Considerando que a situação actual é injusta e insustentável para todos os municípios algarvios comparativamente com os outros a nível nacional de vocação não turística,
proponho
Que todos os municípios do Algarve se unam, de forma a pressionar o Governo Central para alterar os critérios de distribuição das receitas pelos municípios, passando essa distribuição a ser feita em função do território, do número de habitantes e do número de camas de oferta turística, de modo a que cada município receba as verbas transferidas do Orçamento do Estado em função da população real que tem ao longo do ano e não em função da sua população residencial, de modo a poder criar infra-estruturas adequadas às suas reais necessidades, com proveitos ao nível Local, Regional e Nacional.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Análise aos resultados das Eleições Europeias - Opinião

De uma primeira análise aos resultados eleitorais das últimas eleições para o Parlamento Europeu salta à vista um grande derrotado: o ALGARVE.
Com efeito, todos os Partidos sem excepção desprezaram completamente a 3ª Região que mais contribui para os cofres do Estado, colocando os seus representantes em posições claramente não elegíveis. Cala-se assim, inadmissivelmente, uma voz regionalista, como se os representantes desta região não tivessem honrado o país no desempenho do seu cargo.
Ainda assim, os algarvios foram votar e ajudaram a eleger candidatos (de outros locais, claro). A destacar, temos a vitória do PSD em todos os Municípios com excepção dos de Aljezur, Vila do Bispo, Lagos, Portimão e São Brás de Alportel e a subida vertiginosa do Bloco de Esquerda em toda a região.
Estes resultados necessitam ser analisados com o cuidado que os 67,46 % de abstenção e os quase 8% de votos brancos e nulos, requer.
Importa salientar que 75% dos eleitores não votaram em qualquer Partido pelo que, mais importante do que saber porquê que tanta gente não votou, será saber o que levou 25% dos eleitores a votar em determinada força política.
Acho que é unanimemente aceite que as eleições europeias servem, principalmente, para transmitir mensagens ao Governo. Como seria de esperar, a maioria dos eleitores aproveitou para demonstrar o seu descontentamento a José Sócrates, tipo “ou portas-te bem, ou vais para a rua!”. Curiosa foi a forma escolhida para demonstrar esse descontentamento, através de uma votação esmagadora no Bloco de Esquerda e não no PSD, que manteve o seu eleitorado regional (27,39% nestas eleições; 27,82% nas Europeias de 2004; 24,58% nas Legislativas de 2005; 37,68% nas Legislativas de 2002; 29,5% nas Legislativas de 1999).
Deste modo, apesar de ter vencido as eleições e de tido mais votos do que o PS, o PSD no Algarve não conseguiu cativar mais votos do que aqueles que são do seu eleitorado tradicional, isto é, não conseguiu atrair eleitorado descontente com a governação de Sócrates, surgindo como a alternativa, ao contrário do Bloco de Esquerda, que surge como uma terceira via.
A pesar neste afastamento, terá estado a ausência de uma figura regional em posição elegível nas listas do PSD. Torna-se ridículo que um candidato como Mendes Bota, que cumpriu dois mandatos no Parlamento Europeu e ainda hoje é convidado a participar nas mais diversas iniciativas europeias, sendo o mais experiente dos candidatos, surja na 14ª posição na lista de candidatos. O PSD disse que o Algarve está em 14º lugar na sua lista de prioridades e os algarvios “independentes” perceberam isso, penalizando-o.
Passadas as Europeias, seguem-se as Legislativas e as Autárquicas.
Que leitura podemos fazer destes resultados para as próximas eleições legislativas?
Na minha opinião, os resultados só se alterarão na medida em que cada Partido terá mais votos, com a diminuição da abstenção, não havendo diferenças percentuais significativas. Todos sabemos que, nas Legislativas, conta principalmente o perfil do candidato a Primeiro-Ministro e a figura colocada como cabeça-de-lista regional. Infelizmente para o PSD e para o país, parece que a candidata a Primeiro-Ministro pelo maior Partido da oposição será Manuela Ferreira Leite, pelo que, mais uma vez, o PSD não conseguirá cativar votos de eleitores descontentes. Se, para piorar as coisas, optar por colocar como cabeça-de-lista um “paraquedista” de renome nacional, certamente que o PSD não conseguirá ganhar no Algarve. Pelo contrário, o Bloco de Esquerda garante a eleição de um Deputado pelo Algarve, que certamente será conquistado ao PS.
Em termos Autárquicos, estes resultados pouco ou nada dizem, pois todos sabem que o que conta são os candidatos e as listas e não os Partidos.
Curiosa e significativa foi a clara vitória do PS em Lagos, inesperada face à conjuntura nacional e ao trabalho que tem sido desenvolvido pelo PSD local. A vitória de Nuno Marques parece mais difícil do que o excelente trabalho de oposição que tem feito faria prever.
Relativamente a Portimão, apesar da vitória do PSD na freguesia de Portimão, que encheu os responsáveis políticos locais de alegria, acho que este foi o pior resultado para o PSD, com reflexos nas próximas Autárquicas.
Passo a explicar porquê:
1 – O PS, apesar de ter perdido na freguesia de Portimão, vence no município, o que reflecte a dificuldade que o PSD tem em cativar eleitores em Alvor e na Mexilhoeira Grande.
2 – Apesar de se ter aproximado do PS, o PSD não teve mais votos do que aqueles que obteve nas últimas autárquicas (onde concorreu em coligação com o CDS), ou seja, o PS baixa drasticamente de votação, mas o PSD não conseguiu cativar esses votos perdidos.
3 – Votaram menos 5.000 pessoas do que nas últimas autárquicas. Certamente que não serão todos do PS, mas será a grande maioria, uma vez que aqueles que não o são foram votar, para demonstrar o seu descontentamento face à política do Governo.
4 – Este resultado fará com que o PS se aplique muito mais na próxima campanha, fazendo um maior apelo ao voto.
5 – O Bloco de Esquerda não tem figuras locais de destaque que permitam manter nas Autárquicas a votação que teve nas Europeias, pelo que muitos votos, de socialistas mais radicais, acabarão por ser transferidos para o PS ou para a CDU.
Assim, uma vez que o PSD ainda não demonstrou ter conseguido cativar votos aos descontentes, só a elaboração de uma lista autárquica do PSD muito forte e surpreendente poderá fazer com que o PS perca a maioria absoluta, uma vez que o Bloco de Esquerda, a eleger um vereador, será o que actualmente é exercido pela CDU, sendo de prever que o PSD, nas próximas Autárquicas obtenha sozinho a votação que João Amado obteve em Coligação, o que será uma vitória de José Dias, pois corresponderá à angariação de mais de 1500 votos.
Claro que todas estas previsões ficam comprometidas se, como parece provável, surgir uma nova lista de candidatos independentes.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo




A cidade de Portimão foi ontem palco da gala que anunciou as 7 Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo.
Em directo a partir do Pavilhão Arena, Catarina Furtado e José Carlos Malato apresentaram, para a RTP, RTP África e RTP Internacional, um espectáculo de elevada qualidade, que contou com uma coreografia brilhante e actuações musicais de elevado nível.
No final foram divulgadas por figuras de renome nacional as 7 Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo, que são:
- Fortaleza de Diu - Índia
- Igreja do Bom João - Índia
- Fortaleza de Mazagão - Marrocos
- Cidade Velha de Santiago - Cabo Verde
- Igreja de São Paulo em Macau - China
- Igreja de São Francisco de Assis da Penitência - Brasil
- Convento e Ordem Terceira de São Francisco - Brasil

Mais de 200 participantes na maior aula de pintura do mundo

Mais de 200 pessoas, com idades compreendidas entre os 5 e os 100 anos juntaram-se no areal da Praia da Rocha para participarem na maior aula de pintura do Mundo, numa tentativa de ingressar no Guinness World Records.
Mais uma iniciativa que acaba por demonstrar a elevada qualidade da cidade de Portimão como espaço de organização de grandes eventos.
video

domingo, 7 de junho de 2009

Europeias 2009 - Resultados de Portimão

Resultado do Município de Portimão

Votantes - 14.213
Abstenção - 27.288
Nulos - 319
Brancos - 833

PS - 25,97% - 3.990
PPD/PSD - 24,35% - 3.742
B.E. - 17,09% - 2.626
PCP-PEV - 9,31% - 1.430
CDS-PP - 8,36% - 1.284
PCTP/MRPP - 1,79% - 275
MEP - 1,74% - 268
MPT - 0,87% - 134
P.H. - 0,87% - 133
MMS - 0,74% - 113
P.N.R. - 0,66% - 101
PPM - 0,54% - 83
POUS - 0,22% - 34

Freguesia de Portimão

Votantes - 11.762
Abstenção - 22.781
Nulos - 263
Brancos - 663

PPD/PSD - 25,91% - 3.288
PS - 24,44% - 3.101
B.E. - 17,43% - 2.211
PCP-PEV - 9,28% - 1.178
CDS-PP - 8,58% - 1.088
PCTP/MRPP - 1,69% - 214
MEP - 1,68% - 213
MPT - 0,82% - 104
P.H. - 0,82% - 104
MMS - 0,72% - 91
P.N.R. - 0,65% - 82
PPM - 0,50% - 64
POUS - 0,19% - 24

Freguesia de Alvor

Votantes - 1.344
Abstenção - 2.719
Nulos - 23
Brancos - 67

PS - 30,06% - 431
PPD/PSD - 19,04% - 273
B.E. - 17,71% - 254
PCP-PEV - 10,95% - 157
CDS-PP - 7,81% - 112
PCTP/MRPP - 2,09% - 30
MPT - 1,12% - 16
P.H. - 1,12% - 16
MEP - 1,05% - 15
PPM - 0,98% - 14
MMS - 0,70% - 10
P.N.R. - 0,63% - 9
POUS - 0,49% - 7

Freguesia da Mexilhoeira Grande

Votantes - 1.107
Abstenção - 1.788
Nulos - 33
Brancos - 103

PS - 36,85% - 458
PPD/PSD - 14,56% - 181
B.E. - 12,95% - 161
PCP-PEV - 7,64% - 95
CDS-PP - 6,76% - 84
MEP - 3,22% - 40
PCTP/MRPP - 2,49% - 31
MPT - 1,13% - 14
P.H. - 1,05% - 13
MMS - 0,97% - 12
P.N.R. - 0,80% - 10
PPM - 0,40% - 5
POUS - 0,24% - 3

Moedas do Mundo - Aargau


Nome Oficial: Aargau (Argóvia)
Localização: Cantão Suíço
Moeda: Batzen
Habitantes: 507508
Área: 1404 Km2
Línguas Oficiais: Alemão
Ano da admissão como Cantão Suíço: 1803

A região onde actualmente se encontra o cantão de Aargau foi povoado pelos Gauleses no Século I a.C., que aí se mantiveram até à sua conquista pelas tropas comandadas por Júlio César.
Em 259, a região de Aargau foi conquistada pelos Alamanos, que aí se mantiveram até 496, quando Clóvis a conquista e a anexa à Renâmia Francesa.
Com a divisão do Império Carolíngio, Aargau é atribuída à Germânia e, com a fundação do Sacro Império Romano Germânico, integra o mesmo.
Em 1798, Napoleão ocupa a Suíça, que transforma num protectorado francês.
A partir de 1803, com o seu território alargado com territórios provenientes dos Estados de Berna, Zurique e Áustria, Aargau passou a fazer parte da Conferência Helvética.
O cantão de Aargau cunhou moeda própria enquanto cidade livre de Berna.
Administração Política de Aargau:
Gauleses - Séc. I a.C.-58 a.C.
Império Romano - 58 a.C.-259
Alamanos - 259-496
Francos - 496-800
Império Carolíngio - 800-843
Reino da Germânia - 843-962
Sacro Império Romano Germânico - 962-1415
Cidade livre de Berna - 1415-1803
Confederação Helvética - 1803-

1 Batzen 1809

Exposição de moedas comemorativas de 1910 à actualidade

Está patente no Museu Municipal de Portimão, no âmbito da celebração dos 150 Anos do Nascimento de Manuel Teixeira Gomes, uma exposição organizada e apresentada pela Imprensa Nacional - Casa da Moeda, que mostra todas as moedas comemorativas portuguesas editadas desde 1910 até à actualidade.
Organizada por ordem cronológica, começa com a moeda de 1 Escudo comemorativa do 5 de Outubro de 1910, cunhada em 1914, da autoria de Francisco dos Santos e Simões de Almeida Sobrinho e acaba na moeda de 1,5 Euro comemorativa da AMI, cunhada em 2008 e da autoria de José Cândido, no total de 177 moedas diferentes.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Moedas do Mundo - Aachen


World Coins - Aachen
Vou passar a colocar neste blogue a informação disponível e as imagens das moedas que formam a minha colecção, por ordem alfabética das nações/territórios/locais emissores.
Nome Oficial: Aachen - actual Aix-la-Chapelle
Moeda: Mark
Habitantes: 236 978
Linguas oficiais: Alemão
Independência: Cidade livre entre 1165 e 1801
Localização: Renânia do Norte-Vestefália
Povoada desde o tempo dos Romanos, com o nome de Aquae Grani, viu o seu nome alterado, já no Séc. VIII para Aquisgrana.
Cidade livre entre 1165 e 1801, deve esse estatuto ao Imperador Frederico.
Ao longo dos Séculos a cidade foi sendo tomada ora pelo Império Germânico, ora pela França, até que em 1801 perdeu o estatuto de cidade livre.
Aachen cunhou moeda própria, não só enquanto cidade livre, como durante a Primeira Guerra Mundial, quando algumas cidades alemãs foram autorizadas a cunhas moeda própria por questões de interesse econónico e comercial.

Administração política de Aachen:
Império Romano - 53 a.C.-Séc. V
Francos - Séc. V-800
Império Carolingio - 800-843
Reino da Germânia - 843-962
Sacro Império Romano Germânico - 962-1165
Cidade Livre - 1165-1801
França - 1801-1814
Prússia - 1814-1918
Alemanha - 1918-1945
Cidade alemã ocupada pela tropas Aliadas - 1944-1949
República Federal da Alemanha - 1949-1990
Alemanha Reunificada - 1990-

10 Pfennig 1920

Autódromo do Algarve

O Autódromo do Algarve continua a dar exemplo de uma boa gestão e aproveitamento máximo da utilização deste, que é dos principais investimentos alguma vez realizados nesta Região.
No próximo dia 10 de Junho, certamente tirando partido das mini-férias de muitos portugueses, o Autódromo abre as suas portas a dois eventos:
Your Experience - Permite ao utilizador conduzir o seu próprio carro na pista do Autódromo, onde poderá atingir velocidades e realizar manobras impossíveis nas estradas nacionais.
Taxi Experiente - Permite ao utilizados percorrer a pista do Autódromo ao lado de um piloto profissional, vivendo a emoção de uma prova de automobilismo.
Nos dias 13 e 14 de Junho, realizar-se-á um Curso de Condução & Track Day.
O Autódromo do Algarve responde assim às críticas de quem o classifica como sendo um "elefante branco" semelhante ao Estádio do Algarve. A comparação do tipo de gestão, afigura-se-me absurda.

Grupo Coral Adágio

Fundado em Portimão em 09.1989, o Grupo Coral Adágio conta com cerca de 30 elementos e tem como director artístico o maestro António Alves Alferes Pereira.
Um dos melhores grupos corais do país, o Adágio participou, em 1995/96 nas Entradas Régias e nas Festas Reais de D. João II, a convite da Comissão dos Descobrimentos Portugueses.
Do seu vasto corriculum destacam-se as seguintes deslocações/actuações:
1997 - Cantou pela primeira vez a missa "De Beata Virgine Maria" de Filipe Magalhães, na Igreja Paroquial de Alvor;
1998 - Deslocação aos Açores com actuações em Ponta Delgada e Vila Franca do Campo;
1999 - Comemorações do 75º Aniversário da elevação de Portimão a cidade;
2000 - Actuação no Palácio Ducal de Carpi (Itália);
2002 - XVI Festival Coral del Atlântico (Espanha) e deslocou-se à Holanda e à Alemanha.
2003 - Actuou com a Orquestra do Algarve, no Concerto de Páscoa, em Portimão
Em 2008, o Grupo Coral Adágio deu um importante passo para a divulgação do seu trabalho, através da edição do seu primeiro CD. (L)atitudes foi gravado na Igreja Matriz de Portimão, nos dias 26 a 28 de Junho de 2008, interpretando temas populares de vários pontos do mundo:
Negro bembon;
O Menino nas palhas;
The succession of the four sweet months;
Les boites à musique;
Le temps a laissé son manteau;
Oração de St. António;
Gabriel's Oboé;
Halicha Lekeisariya;
Eu hei-de amar uma pedra;
Pater Noster;
S'na mi bog;
Tajapanema;
Zum Abendsegen;
Lira;
If we ever needed the Lord before;
El día que me quieras;
Cunhataiporã

Tumulária na Igreja da Mexilhoeira Grande

A tumulária das Igrejas, recordações do período em que as pessoas eram sepultadas no interior dos templos, para melhor protecção divina, mostra-se, actualmente, como mais uma fonte histórica a recorrer quando se pretende realizar um trabalho genealógico.
Embora muito mais pobre do que a tumulária da Sé de Silves, a Igreja da Mexilhoeira Grande dá um exemplo de preservação histórica dos túmulos de alguns dos seus mais notáveis habitantes dos Séculos XVI e XVII.
Seguem imagens de todos os túmulos que consegui localizar neste Templo:
Sepultura de André Gomes e de sua mulher
Sepultura de António Dias e sua mulher

Sepultura de Fernão Barroso e sua mulher

Sepultura de ? Rodrigues e sua mulher

Sepultura de Gaspar Vaz

Sepultura de Marcos Eanes e sua mulher

Sepultura de ? Anes e sua mulher

Sepultura de Nicolau Gomes e sua mulher

Sepultura de ? Branco e sua mulher
Sepultura de Afonso Pinto e sua mulher Sepultura de Vicente Alves Neto, Clérigo de Missa

Sepultura de Amador Gomes, Clérigo da Missão e da Missa 1591

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Portimão - Futura Capital do Cinema

video
Quando Deus quer e o Homem sonha é certo que a Obra nasce!
Há cerca de dois anos, quando ouvi falar pela primeira vez na possibilidade de Portimão se vir a transformar numa cidade do cinema, pensei: "E porque não?"
Como autor de várias obras de ficção, duas das quais editadas, sei que o Algarve tem cenários urbanos e naturais que permitem servir de base ideológica para a elaboração de qualquer cenário, facilmente convertível a filme.
Vejamos:
Paisagens naturais e urbanas que podem servir de cenário amplo:
- Costa Vicentina (falésias e praias)
- Praias Vicentinas como a de Odeceixe e Monte Clérigo
- Falésias e grutas da Ponta da Piedade, Prainha, Praia da Rocha, Carvoeiro e Senhora da Rocha
- Ria de Alvor e Ria Formosa
- Bacias dos Rios Arade e Guadiana
- Serra de Monchique
- Barragens do Funcho e de Santa Clara
- Salinas
- Núcleos urbanos de Lagos, Zona Ribeirinha de Portimão e Marina, Ferragudo, Carvoeiro, Vilamoura, Quinta do Lago, Tavira, Alcoutim, Castro Marim e Vila Real de Santo António
- Vilas tradicionais como Bordeira, Carrapateira, Alvor, Caldas de Monchique, Alte, Salir
Paisagens naturais e urbanas que podem servir de cenário restrito:
Para cenários de filmes de conteúdo histórico:
- Castelo de Aljezur, Igreja e núcleo urbano da Bordeira; Fortinho da Carrapateira; Fortaleza do Beliche, Fortaleza de Sagres, Caldas de Monchique, Alferce, Fortaleza de Santa Catarina, centro de Ferragudo e Castelo, Castelo de Silves e Sé, Castelo de Paderne, centro de Alcantarilha, centro histórico de Faro e Sé, Palácio de Estoi, Cacela Velha, Forte de Cabanas, Tavira, Castelo e Fortaleza de Castro Marim; Caravela Boa Esperança
Para cenários de filmes de expansão marítima e navegação:
- Toda a costa algarvia
- Porto de Cruzeiros de Portimão
- Marinas e Portos de Recreio de Lagos, Portimão, Albufeira, Quarteira, Vilamoura, Vila Real de Santo António
- Portos de Pesca de Portimão, Faro, Fuzeta, Olhão, Tavira, Santa Luzia
Para cenários de filmes que contenham partidas ou chegadas aéreas:
- Aeroporto de Faro
- Aerodromos de Lagos e Portimão
Para cenários desportivos:
- Estádio do Algarve - Futebol
- Autódromo do Algarve - Todos os desportos motorizados
- Zona da Serra - Rally e todo-o-terreno
- Pavilhão Arena - Todo o tipo de desporto de pavilhão
- Futuro complexo desportivo de Portimão - Piscina, Ténis
- Campos de Golfe - Golfe
- Praça de Touros - Tourada
- Centro Hipico de Belmonte - Hipismo
Para cenários de comércio e consumo:
- Grandes superfícies do Algarve Shopping e Fórum Algarve
- Centros urbanos de Portimão e Faro
- Feiras e mercados
Para cenários de circulação rodoviária:
- A 2
- Via do Infante
- Estrada Nacional 125
- Estradas costeiras e secundárias
Para cenários de ambientes de luxo:
- Quinta do Lago
- Vale de Lobo
- Casinos do Algarve
- Hoteis de 5 Estrelas
Para cenários de Praias:
- Meia-Praia, Praia da Rocha, Albufeira, Ilha de Tavira
Para cenários de campo ou floresta:
- Serra de Monchique e campina de Faro:
Para cenários escolares:
- Universidade do Algarve, Instituto Piaget, Escolas secundárias, preparatórias e primárias
Para cenários de filmes policiais e judiciários:
- Tribunais de Lagos, Portimão, Albufeira, Loulé e Faro, Estabelecimento Prisional de Silves e de Faro; Esquadras de Polícia e Quarteis da G.N.R.
Para cenários de Parques Temáticos:
- Zoo de Lagos, Zoomarine, Krazy World
Para cenários nocturnos e de diversão nocturna:
- Bares e discotecas de Albufeira e Praia da Rocha
Tem, assim, a cidade, por si só e sem a necessidade de grandes investimentos de raiz as condições necessárias para ser o centro de uma cidade do cinema e isso já foi visto com a rodagem de filmes e séries de televisão que tiveram o seu centro em Portimão.
O que faltava, então, para que a cidade de Portimão se podesse consagrar como Capital do cinema?
Basicamente faltava quem quisesse transformar a cidade de Portimão em cidade do cinema e quem quisesse investir em estúdios e centros técnicos de montagem e produção de filmes.
Disse faltava porque, neste momento, já não falta...
O Projecto Picture Portugal, liderado por Joaquim de Almeida colocou a cidade de Portimão na corrida à criação de estúdios de cinema e a CBS decidiu apoiar o projecto.
O município de Portimão irá ceder um terreno de 80 hectares, localizado junto ao Autódromo para a construção de 11 estúdios para gravação e trabalho de pós-produção. Nesse espaço será ainda construído um water-tank de grande dimensões e dois edifícios destinados a empresas do ramo e a serviços de apoio, num investimento inicial de 200 milhões de Euros, a que se somará 550 milhões para a implementação de um grande parque temático ligado ao cinema e ao automobilismo.
A breve prazo será ainda construído o novo aeródromo (com características técnicas de aeroporto) e a construção de várias unidades turísticas de 4 e 5 estrelas.
O investimento total, que já se candidatou a fundos comunitários, ascende aos 3 mil milhões de Euros.
Logo que o projecto foi publicamente apresentado choveram criticas a esta iniciativa. Uns dizendo que é impossível a realização de um investimento desta envergadura em Portimão, outros dizendo que a cidade não tem condições para ser uma cidade do cinema porque não tem nada para ver.
Os que não acreditam num investimento desta envergadura, serão certamente os mesmos que não acreditavam na construção do Autódromo do Algarve, mas estiveram presentes na sua inauguração.
Quem alega que a cidade não tem condições para ser uma "Hollywood" da Europa ou não conhece ou desvaloriza a cidade e toda a região algarvia. Talvez seja como um daqueles turistas de Agosto, que passam 15 dias num apartamento de uma das torres de Armação de Pêra ou Quarteira de onde só saem para uma praia apinhada de gente e regressam a casa a dizer que o Algarve é um inferno e não tem nada para ver. Aqueles que conhecem o Algarve sabem que a região tem beleza e condições climatéricas para a elaboração de qualquer projecto cinematográfico.
Esta ignorância ou simples má-fé é grave quando vem de pessoas que têm, ou pretendem ter, responsabilidades políticas, na medida em que, certamente por ambição ou cegueira política, acabam por pôr em causa a imagem da cidade e da região, prestando um péssimo serviço público.
Na minha opinião, há questões que devem estar acima das diferenças políticas e devem ser apoiadas por todos os quadrantes politicos e sociais da cidade e da região. Um investimento de 3.000 milhões de Euros, com o impacto que tem na economia e na valorização da região é um desses casos.
Pode o Município de Portimão e a Região do Algarve contar com o meu apoio incondicional à concretização deste projecto.